“Não podemos admitir um deputado federal, um jornalista e um presidente de partido presos”, disse o chefe do Executivo.

0
11

De olho no feriado de 7 de Setembro, dia em que pretende fazer demonstração de força nas ruas.

Os atos têm como principais motivações os alvos do inquérito que apura ofensas e fake news contra os ministros do STF. Entre os objetos das investigações estão o ex-deputado federal e presidente do PTB, Roberto Jefferson, o deputado federal Otoni de Pauta (PSC-RJ) e blogueiro Allan dos Santos.

“Não podemos admitir um deputado federal, um jornalista e um presidente de partido presos”, disse o chefe do Executivo.

Bolsonaro classifica as manifestações programadas como “espontâneas” e que contam como integrantes pessoas “pacíficas, ordeiras, trabalhadoras que querem o melhor para o País”.

Apesar de não ser a pauta principal, segundo Bolsonaro, o presidente afirma que as pessoas também podem se manifestar para defender a adoção no voto impresso nas eleições, bandeira defendida por ele.

Mesmo assim, o chefe do Executivo pondera que os cidadãos “não estão pedindo nada além do normal, do que os Poderes deviam atender”. Com presença confirmada, Bolsonaro garante que vai “onde o povo estiver”.

 

DEIXE UMA RESPOSTA