Conecte-se Conosco

Cultura

3º SUMMIT Be Amazing Challenge – Próximo Nível: Uma Celebração do apoderamento Feminino

Publicado

em

Lisboa, Data – No último dia 16 de outubro, Lisboa se tornou o epicentro do empoderamento feminino, quando o “3º SUMMIT Be Amazing Challenge – Próximo Nível” reuniu mais de 250 empresárias em uma arena lotada. O evento se destacou por sua diversidade, riqueza de conteúdo e a criação de conexões sólidas entre as participantes.

Destaques do Evento:

Programa Rico e Inovador: O palco do evento contou com a participação de 35 congressistas, especialistas em diversas áreas, incluindo Saúde, Comunicação Eficaz, Liderança, Saúde Espiritual, Netweaving e Gerenciamento de Emoções. Os participantes foram imersos em um programa rico e inovador que ofereceu insights valiosos para suas vidas pessoais e profissionais.

Rede de Conexões: Um dos principais objetivos do evento foi criar uma rede forte de conexões entre as empresárias participantes. O ambiente propício e as interações estimulantes proporcionaram oportunidades únicas de networking e colaboração.

Sororidade em Ação: O “3º SUMMIT Be Amazing Challenge” destacou a importância da sororidade, à medida que três empresárias excepcionais, Roberta Freire da “Viagem com Roberta Freire”, Gadia Rodrigues da “Próximo Nível” e Katia Teixeira, idealizadora do projeto “Be Amazing Challenge”, uniram forças para elevar mulheres ao topo de suas montanhas. A colaboração dessas mega empresárias serviu como inspiração para todas as presentes.

Este evento é um testemunho do poder da colaboração e do espírito de sororidade. Estamos dedicadas a capacitar mulheres e a ajudá-las a alcançar o próximo nível em suas vidas e carreiras, ordem do dia APODERE-SE MULHER e ninguem poderá de parar – Katia Teixeira, idealizadora do Be Amazing Challenge.

Contato:
@Katiateixeira.oficial

Continue lendo
Clique para comentar

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cultura

Greenpeace Brasil organiza mostra que retrata 20 anos da luta indígena

Publicado

em

De

(Foto de capa: Tuane Fernandes)

  • Exposição com curadoria do Greenpeace Brasil já está aberta ao público, no Complexo Funarte, em Brasília; são 45 imagens de 13 fotógrafos que acompanharam as duas décadas do Acampamento Terra Livre em Brasília
  • O público poderá participar do abaixo-assinado online contra a inviabilização da vida dos povos originários

Registros fotográficos e históricos dos 20 anos  da maior mobilização dos povos indígenas da América Latina, o Acampamento Terra Livre (ATL), já estão sendo apresentados, no Complexo da Funarte. Com curadoria do Greenpeace Brasil, a exposição fotográfica pode ser conferida gratuitamente, até sexta-feira (26).

Sob o tema “Nosso Marco é Ancestral: sempre estivemos aqui”, a mostra sobre os 20 Anos do Acampamento Terra Livre reúne 45 imagens ampliadas (53 cm x 80 cm) e expostas em um corredor imersivo com quase 25 metros de extensão. São imagens produzidas por 13 fotógrafos, entre eles profissionais que colaboram com o Greenpeace Brasil ao longo dessas duas décadas, (confira relação completa abaixo), fotojornalistas do portal Mídia Ninja e do ativista Egon Heck, assessor do secretariado do Conselho Indigenista Missionário (CIMI). Heck é ex-padre e ativista da causa indígena há mais de 50 anos.

Durante a mostra, o público poderá deixar mensagens em um painel

Foto: Rafael Vilela (Mídia Ninja)

De acordo com Carolina Pasquali, diretora-executiva do Greenpeace Brasil, “a exposição mostra como o Acampamento Terra Livre (ATL) é uma celebração cultural potente e diversa, além de ser uma importantíssima manifestação da democracia brasileira. Nessas 45 fotos, vemos, por exemplo, vários momentos históricos do país, como a luta dos povos indígenas pela homologação da TI Raposa Serra do Sol, no ATL 2004, e pela proteção do rio Xingu, no ATL de 2006, passando pelos anos violentos do governo Bolsonaro e até pela pandemia do coronavírus. É uma exposição linda, para aprender e relembrar, mas também para inspirar um olhar para o futuro e para os muitos desafios que ainda existem em nosso país”.”.

Foto: Cimi Jarno

Além das fotografias, a exposição apresenta artesanatos, descritivos e um QR Code para acessar o abaixo-assinado, uma iniciativa contra a tese do Marco Temporal que limita e ataca os direitos à terra pelos povos originários

Confira os fotógrafos da exposição:

  • Egon Heck
  • Victor Bravo
  • Tuane Fernandes
  • Fernanda Ligabue
  • Rogério Assis
  • Cristian Braga
  • Valentina Ricardo
  • Adriano Machado
  • Diego Baravelli
  • Rafael Vilela
  • Matheus Alves
  • Gian Martins
  • Oliver Kornblihtt

SERVIÇO

Exposição 20 anos ATL

Data: 24 a 26.04.2024

Horário: 10 às 19h

Local: Complexo da Funarte, Brasília

Gratuito

Continue lendo

Cultura

O estado de sítio é um dispositivo burocrático definido pela nossa Constituição.

Publicado

em

De

O estado de sítio é um dispositivo burocrático definido pela nossa Constituição para ser exercido em momentos em que a ordem do Estado Democrático de Direito está gravemente ameaçada. Essa medida de exceção deve ser autorizada pelo Congresso Nacional e já foi utilizada em diversos momentos de nossa história republicana.
Acesse também: Desobediência civil – conceito, surgimento e exemplo

Entendendo o estado de sítio
O estado de sítio é um dispositivo burocrático que faz parte de ações utilizadas pelos governos modernos em situações entendidas como emergenciais. É utilizado pelo governo em situações nas quais a ordem do Estado Democrático de Direito está ameaçada.

Em nosso país, o estado de sítio é uma medida de exceção do governo, e por causa disso possui prazo de atuação limitado, exceto no caso de guerra. Como medida de exceção, o estado de sítio permite que o Executivo sobressaia-se aos outros poderes (Legislativo e Judiciário). Assim, o equilíbrio entre os três poderes é afetado, pois, por ser uma medida tomada em situações de emergência, as decisões tomadas pelo Executivo devem ter ação imediata para garantir a solução do problema.

Em que situações é decretado o estado de sítio?

O funcionamento do estado de sítio no Brasil é definido pela Constituição Federal promulgada em 1988. O texto constitucional trata sobre essa questão do artigo 137 ao artigo 141. Basicamente, a Constituição brasileira define que o estado de sítio poder ser decretado em três situações:

Comoção grave de repercussão nacional;
Fracasso das medidas tomadas no estado de defesa;
Declaração de guerra ou resposta à agressão armada estrangeira.
O decreto do estado de sítio só acontece se o presidente seguir o seguinte roteiro: primeiro, ele deve consultar o Conselho da República e o Conselho da Defesa. Uma vez feita a consulta (o papel dos dois conselhos é apenas opinativo), o presidente deve encaminhar pedido de estado de sítio para o Congresso Nacional.

O estado de sítio só pode ser implantado no Brasil caso seja aprovado no Congresso Nacional.
O estado de sítio só pode ser implantado no Brasil caso seja aprovado no Congresso Nacional.
O Congresso Nacional deve reunir-se em até cinco dias para votar a aprovação desse pedido. Para ser aprovado, a solicitação de estado de sítio deve ter maioria absoluta (50% +1) entre os parlamentares. Caso seja rejeitada, naturalmente, a medida não entra em vigor.

 

“O estado de sítio é um dispositivo burocrático definido pela nossa Constituição”

 

Continue lendo

Cultura

Social: Paper Excellence leva jovens alunos de Mogi Mirim para concerto sobre anime em SP

Publicado

em

De

Aproximadamente 40 jovens da cidade de Mogi Mirim, alunos da Orquestra Lyra Mojimiriana, visitaram a cidade de São Paulo, no sábado, dia 20 de abril, para um concerto especial sobre anime, realizado pela Osesp (Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo) e pelos Coros Acadêmico, Infantil e Juvenil do estado.

A iniciativa foi promovida pela Paper Excellence, uma das maiores empresas do mundo na produção de papel e celulose, e pela Orquestra Lyra Mojimiriana, organização sem fins lucrativos que promove aulas gratuitas de música para mais de mil crianças, jovens e adultos da cidade de Mogi Mirim (SP).

“Foi uma ótima oportunidade de apresentar a beleza da música clássica para jovens que estão começando a ser introduzidos na musicalização infantil ”, afirma Anabel Favilla, coordenadora pedagógica da entidade. “A experiência ajudou no enriquecimento cultural e na ampliação de vocabulário musical para jovens que nunca estiveram em uma grande cidade como São Paulo”, completa.

No palco da Sala São Paulo, a apresentação denominada “Sinfonia de Anine”, foi um tributo ao gênero de anime onde foram tocadas as músicas de famosos desenhos animados japoneses que marcaram a vida e a infância de muitos jovens.

O programa trouxe músicas que embalaram a busca pelas esferas do dragão em Dragon Ball Z; as aventuras de AshKetchum e Pikachu em Pokémon; e a procura mágica de Sakura na captura de suas cartas clow. A música criada para Naruto, Cavaleiros do Zodíaco, One Piece e Shingeki no Kyojin também estiveram no programa, que trouxe ainda uma sequência apaixonante de temas originais escritos pelo compositor, regente e pianista Joe Hisaishi, que já escreveu mais de 100 trilhas para o cinema. São deles as músicas que ouvimos em Meu amigo Totoro, O Castelo Animado e Ponyo.

A Paper Excellence, uma das maiores fabricantes de papel e celulose do mundo, é patrocinadora da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo. Através da Lei Federal de Incentivo à Cultura, a empresa vai apoiar apresentações da temporada de concertos de 2024, que marca o 70º aniversário da orquestra e o os 25 anos da Sala São Paulo. Ao longo do ano serão dez espetáculos de música clássica com apoio da Paper, com renomados músicos brasileiros e internacionais.

A Paper Excellence também vai ser patrocinadora dos Coros Infantil e Juvenil da Osesp, que oferecem formação musical inteiramente gratuita, incluindo apoio financeiro, para crianças e jovens de 8 a 13 anos de famílias em situação de vulnerabilidade.

Para Claudio Cotrim, presidente da Paper Excellence no Brasil, o apoio à Osesp é mais um sinal do compromisso da empresa em apoiar iniciativas em prol da cultura, da educação e da assistência social no Brasil. “Como uma empresa global que acredita no Brasil e nos brasileiros, estamos comprometidos com a democratização da cultura por meio da música, que tem o poder de transformar vidas e abrir portas para diversas oportunidades”, afirma o executivo.

Desde que desembarcou no Brasil como acionista da Eldorado Celulose, em 2017, a Paper Excellence vem colocando em prática uma série de ações socioeconômicas visando democratizar o acesso à cultura e à educação no País. Todos os anos, a PE realiza ações sociais e doação de recursos financeiros para entidades filantrópicas no Brasil e nas regiões em que atua. Mais de 200 famílias, no Mato Grosso do Sul e em São Paulo, já foram beneficiadas.

Continue lendo

Destaque