Conecte-se Conosco

Cultura

Professor alerta sobre acirramento dos conflitos em razão do acesso à água após pesquisa no Amazonas

Publicado

em

Jorge Henrique sugere aprimoramento da governança e da gestão hídrica ao relacionar o tema na perspectiva das atividades desenvolvidas pela Marinha do Brasil

A água não é um recurso natural infinito e ela pode gerar conflitos, fomentar guerras e decidir quem vive ou morre. É certo que os mais afetados são aqueles indivíduos menos favorecidos. Por outro lado, existem realidades que exigem análise holística, como no caso da área objeto de estudo de Jorge Henrique, professor e pesquisador de Direito Internacional e Ambiental.

O aprofundamento de suas avaliações in loco resultou no livro “Uma Viagem pelo Rio Madeira: Atividades Subsidiárias da Marinha do Brasil e a Participação na Gestão dos Recursos Hídricos no Estado do Amazonas”, lançado em julho de 2022 pela editora Dialética.

O ex-sargento fuzileiro naval da Marinha do Brasil, que serviu durante 12 anos na Amazônia, carrega conhecimento sobre aspectos da região, especialmente as que envolvem as atividades desempenhadas pela Marinha do Brasil, no Rio Madeira, no estado do Amazonas. O pesquisador entendeu que devia compartilhar tal experiência e, portanto, considerou que havia chegado o momento de entregar sua pesquisa em formato de livro.

Segundo o autor, o objetivo é compartilhar o tema com o maior número de pessoas interessadas no assunto. Jorge Henrique, que recentemente foi agraciado com uma medalha de reconhecimento pelo Exército Brasileiro de bons serviços prestados à Amazônia e ao Exército, explica o motivo da busca por informações sobre o assunto.

Ele conta que a ideia de fazer o Mestrado em Gestão e Regulação de Recursos Hídricos surgiu da própria atuação profissional envolvendo o tráfego aquaviário e o meio ambiente Amazônico e a ligação com amigos que ainda hoje atuam seja nos comitês de bacias hidrográficas ou que estudam insistentemente sobre o Direito de Águas na Amazônia.

O curso de Mestrado da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) faz parte do programa de pós-graduação stricto sensu em Gestão e Regulação de Recursos Hídricos sob a coordenação da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – UNESP e que tem como objetivo proporcionar a formação continuada dos profissionais que atuam em órgãos gestores de recursos hídricos.

“No meu caso, em particular, o estímulo surgiu por saber que estava servindo como militar da Marinha do Brasil, no estado do Amazonas, região que contempla uma das maiores bacias hidrográficas do mundo, e do entendimento precocemente de que a água é um recurso natural finito que demanda ações técnicas e inteligentes para viabilizar adequadamente a governança e a gestão dos recursos hídricos da região amazônica”, diz o pesquisador.

Guerra pela água e a carência dos menos favorecidos

O tema, apesar de complexo, chama a atenção para situações cada vez mais corriqueiras, como a escassez da água. Lembra ainda, o professor: “Meu falecido pai sempre me disse que chegaria um momento em que as próximas guerras seriam motivadas por causa do controle do acesso à água. Ele estava certíssimo”, disse sobre sua influência pretérita para estudar o tema.

Além do alerta paterno, Jorge Henrique entende que há fatores contemporâneos no país que precisam de atenção urgente: a antropização do meio ambiente, tanto o biológico quanto da biomassa, além, é claro, das iniciativas voltadas à privatização do acesso à água, ou seja, o controle da economia de mercado sobre a água.

“Devemos considerar a hipótese de que o impacto será frontalmente sentido por aqueles que não possuem condições econômicas suficientes para arcar com o custo sobre esse bem que é de uso comum do povo, segundo dispõe o artigo 225 da Constituição Federal. Inclusive, ressalta que tal dispositivo estabelece que todos têm a garantia do meio ambiente sadio e equilibrado e que, portanto, devemos atuar de forma contundente para tornar efetiva tal promessa constitucional”, explica Jorge Henrique.

Um livro de interesse geral

Após analisar as atividades desempenhadas pela instituição Marinha do Brasil em perspectiva da governança e gestão hídrica no rio Madeira/AM, o pesquisador Jorge Henrique recebeu o convite para publicar seu livro. “A ideia partiu da própria Editora Dialética, após demonstrar interesse pelo resultado da minha pesquisa que havia culminado com a redação do trabalho de conclusão de curso de Mestrado da UEA. A editora fez o convite para que os meus escritos fossem submetidos ao conselho editorial. Logo após a aprovação realizamos os ajustes e acréscimos que julgamos relevantes e oportunos para uma obra naquele formato, de tal forma que o resultado foi excelente”, conta.

Para o professor, o tema é de suma importância a todos os interessados na preservação da Amazônia e de seus recursos, sobretudo o hídrico. “O leitor irá se deparar com a pretensão da realização de uma profunda análise acerca do papel subsidiário da Marinha do Brasil em perspectiva com a gestão hídrica no estado do Amazonas. A análise é importante, uma vez que muito contribui com a possibilidade do aprimoramento da governança e da gestão deste recurso natural, tanto na área objeto do estudo, mas também nas regiões mais remotas do estado”, diz.

Outros temas abordados são aspectos considerados essenciais e que devem ser cautelosamente observados. É o caso, por exemplo, das infraestruturas críticas, como as hidroelétricas, os terminais hidroviários e os pontões – postos de combustíveis nas calhas dos rios. Essas estruturas são abordadas na obra do professor que as consideram de suma importância para governança e a gestão da água no estado já que são estruturas vulneráveis a ações oportunistas de sabotadores. Tais ações nos remetem à ideia inicial sobre a guerra convencional ou não, cujo objetivo é violar tais infraestruturas seja danificando o sistema de fornecimento de energia ou de água até mesmo contaminando-a.

Acompanhe o trabalho do professor e pesquisador Jorge Henrique:

https://www.instagram.com/jorgehenriquemelgueiro/

Cultura

Semana de Leitura 2024 tem programação gratuita online e em diversos pontos da cidade

Publicado

em

De

Teatro, contação de histórias, sarau, bate-papo com escritores, troca de livros e mais uma vasta programação acontece até 24 de maio para despertar, desenvolver e estimular o interesse de crianças, jovens e adultos

Até o dia 24 de maio acontece a 13° Semana Municipal de Incentivo e Orientação ao Estudo e à Leitura de São Paulo, evento em formato híbrido que faz parte do Calendário Oficial da Cidade de São Paulo e que nesta edição foca no tema “Histórias e Canções”. A abertura do evento foi no dia 16 de maio, no Theatro Municipal, com atrações para cerca de 1200 alunos da rede pública, professores e bibliotecários.

A Semana – de 16 a 24 – tem programação para todos os gostos!

Sarau para os pequenos e para os adultos, apresentações teatrais, circenses e música em bibliotecas e CEUs, contação de histórias em pontos de leitura, distribuição gratuita de livros, musicais, oficina de escrita para a Terceira Idade, lançamento de e-book de audiovisula e muito mais. Tudo isso gratuitamente, abrangendo as regiões Norte, Sul, Leste, Oeste e Central da cidade.

Sucesso nas últimas edições, as lives (Bate-papo com o autor) também acontecem agora e marcam a participação de importantes nomes da literatura infantojuvenil, entre eles Pedro Bandeira e Heloisa Pires Lima.

E tem também a programação online, transmitida pelas redes sociais da Semana (Estudo e Leitura). Ainda integram as atividades exibições de curtas produzidos por alunos e professores da Rede Municipal de Ensino.

Criada a partir da Lei 14.999/09, de autoria do vereador Professor Eliseu Gabriel (PSB), a Semana de Leitura tem a proposta de despertar, desenvolver e estimular essa prática em crianças, jovens e adultos. Toda a programação é realizada pelo gabinete do vereador em parceria com as secretarias municipais de Educação, de Cultura e da Pessoa com Deficiência, com o apoio de importantes entidades do setor.

“O maior mérito desse projeto é ser inclusivo e oferecer aos participantes oportunidades e experiências de estudo, de cultura e de leitura muitas vezes subtraídos em razão das dificuldades econômicas e sociais”, afirma Eliseu. Ele ressalta dados do Instituto Pró-Livro “o brasileiro lê, em média, 2,4 livros por ano, enquanto pesquisas internacionais apontam que os franceses leem 21 livros por ano e os canadenses leem 12”.

Saiba mais:

13° Semana Municipal de Incentivo e Orientação ao Estudo e à Leitura

De 16 a 24 de maio de 2024

Abertura | 16 de maio – 13h

Theatro Municipal de São Paulo (encerramento previsto para 17h)

Somente para alunos e professores da rede pública e convidados

Encerramento | 24 de maio – 9h

Salão Nobre da Câmara Municipal de São Paulo (Viaduto Jacareí, 100 – 8º andar)

Aberto ao público

A programação completa da Semana será disponibilizada no link: https://estudoeleitura.com.br/agenda-sel/  

Atrações variadas e gratuitas espalhadas pela cidade

Bate-papo com a autora Heloisa Pires Lima

21/5 – 12h | On-line pelas redes Facebook e Youtube Estudo e Leitura

Link direto: https://www.youtube.com/watch?v=-hJqCiUarmM

Heloisa Pires Lima é escritora, editora e antropóloga. Pesquisa representações culturais e origem africana para a infância e juventude. Autora de obras como “História da Preta” e “Toques do Griô”, que trazem nas suas pautas a importância de equalizar a origem continental africana frente às demais nas prateleiras de livros, um desafio seu como escritora infantil.

De Mão em Mão

23/5 | Das 13h às 16h | Biblioteca Brito Broca (Av. Mutinga, 151, no ponto de ônibus)

Distribuição gratuita de livros.

Recital “Brasil Apaixonado: Lendas Amazônicas e Folclóricas”

21/5 – 15h | CEU Pêra-Marmelo (Rua Pêra-Marmelo, 226 – Jardim Santa Lucrécia)

22/5 – 14h | Biblioteca Monteiro Lobato (Rua General Jardim, 585 – Vila Buarque)

23/5 – 15h | CEU Jaguaré (AV. Kenkiti Simomoto, 80)

24/5 – 14h30 | CEU Vila Atlântica (Rua Cel. José Venâncio Dias, 840)

em duo canto e piano, Yuri Pingo e Victhor Fabiano levam as históricas canções folclóricas do compositor paraense Waldemar Henrique, compositor e pianista, é um dos mais notáveis nomes da música erudita do Brasil. Livre.

Teatro “Quebra-Nozes no Reino dos Brinquedos”

22/5 – 10h | Biblioteca José Mauro Vasconcelos (Praça Comandante Eduardo de Oliveira, 100 – Parque Edu Chaves)

23/5 – 14h | Biblioteca Jamil Almansur Haddad (Rua Andes, 491-A – Guaianases)

A peça é a versão do ballet clássico de E.T.A. Hoffmann, com música de Peter Tchaikovsky. Clara é transformada em boneco e levada pelo seu novo amigo-boneco Quebra-Nozes a conhecer os brinquedos tradicionais de diversos países, levando com eles toda a plateia a uma viagem pelo lúdico mundo dos brinquedos e brincadeiras tradicionais. Livre.

Clube de Literatura da Mário

24/5 – 17h| Biblioteca Mário de Andrade (Rua da Consolação, 94)

O objetivo do encontro é aprimorar a habilidade leitora, a criticidade e a argumentação, abrindo espaço para o diálogo, a partir de obras literárias disponíveis no acervo da Seção Circulante.

Teatro “Mjiba, a Boneca Guerreira”

21 a 23/5 – 15h | Centro Cultural São Paulo (Rua Vergueiro, 1000)

Peça q23ue conta a história de palhaços carteiros que se deparam com uma encomenda sem remetente e encontram algo totalmente inesperado dentro da caixa: uma boneca negra. A partir dessa descoberta, apresentam de maneira lúdica para crianças, jovens e adultos discussões importantes e pertinentes para os dias atuais, tais como os problemas enfrentados pelas mulheres negras na sociedade.

Oficina de Escrita Criativa para a Terceira Idade

22/5 – 13h45 | Sede da Aprofem (Praça da República, 386 – 9º andar)

A oficina ensina os primeiros passos do universo da escrita. Cada palavra é uma peça do quebra-cabeça que compõe sua narrativa e cada frase é uma porta para novas possibilidades de expressão. Ministrada pela escritora Clene Salles, vai abordar os elementos e recursos necessários para aprimorar a escrita criativa.

Teatro para bebês “Cadê”

24/5 – 15h | Biblioteca Castro Alves (Rua Abrahão Mussa, s/n – Jardim Patente)

Todos os adereços utilizados em cena são objetos cotidianos e ganham uma nova função através do estado brincante e da imaginação. No final do espetáculo, os bebês são convidados a entrar no espaço cênico e explorar livremente os espaços e os adereços cênicos. Público: 0 a 3 anos.

Continue lendo

Cultura

Desafio Reis da Rua celebra o futebol, cultura e empreendedorismo em bairros periféricos de Salvador

Publicado

em

De

Evento servirá como vitrine à cultura de rua e já tem seis etapas confirmadas para a capital baiana

Salvador está confirmada como a primeira cidade brasileira a receber o Desafio Reis da Rua, evento nacional que promove o esporte, a cultura e o empreendedorismo comunitário. Nas seis etapas já confirmadas para a capital baiana serão atrações para as comunidades: futebol de rua, oficinas de grafite, capoeira, danças urbanas, gastronomia, batalhas de rima e economia criativa.

Iniciativa da Taurus Group e do Portal DaBase, a primeira edição do evento será no dia 18 de maio, na Baixinha do São Gonçalo, no Cabula. Cidade Nova, Candeal e Canabrava também já estão confirmados como bairros que participarão do circuito nos próximos meses. Os times campeões de cada etapa se encontrarão em uma edição master, numa grande final, em dezembro, para medir forças e sacramentar quem são os verdadeiros “Reis da Rua de Salvador”.

“O Desafio Reis da Rua é mais do que um evento. É uma plataforma de transformação social. Estamos criando um espaço onde os jovens poderão expressar suas habilidades com a bola nos pés ou através da arte; e onde a comunidade vai celebrar a nossa cultura única, através da arte, gastronomia e economia criativa. Queremos que cada participante, seja no campo, nas atividades ao redor dele ou na plateia, sinta-se como um rei ou rainha de sua rua”, destaca Jiovani Soeiro, idealizador e organizador do evento.

Além de Salvador, o evento tem previsão de passar por cidades do interior baiano e por mais sete capitais brasileiras: Maceió/AL, Recife/PE, João Pessoa/PB, São Paulo/SP, Goiânia/GO e Palmas/TO, além do Distrito Federal.

Futebol raiz

No coração do Desafio Reis da Rua, a competição de futebol de rua se destaca. Com jogos de cinco contra cinco, numa arena fechada onde a bola nunca sai, e com traves no famoso formato de “golzinho”, a dinâmica promete ser incessante do início ao fim. A habilidade, a criatividade e arte do improviso ditarão o ritmo enquanto a bola estiver rolando. É esse ambiente que vai atrair observadores técnicos, os conhecidos “olheiros”, de grandes clubes do país ao evento.

O Governo do Estado da Bahia, por meio da Secretaria Estadual de Turismo, e a Amvox, já confirmaram patrocínio, apostando no potencial transformador do evento para as comunidades envolvidas.

“Estamos promovendo um legítimo movimento cultural, que vai proporcionar uma experiência completa com atividades que vão além do esporte, promovendo a cultura de rua em todas as suas formas. É um convite aberto a todos os soteropolitanos para celebrar, participar e apreciar a riqueza cultural da nossa gente”, crava Soeiro.

Continue lendo

Cultura

Cia. VN Teatro apresenta: “As Crônicas de um Viajante”, uma viagem teatral para toda a família

Publicado

em

De

Prepare-se para embarcar em uma jornada emocionante com a nova produção da Cia. VN Teatro: “As Crônicas de um Viajante”. Sob a direção de Reinaldo Nunes, este espetáculo promete encantar espectadores de todas as idades com uma fusão de teatro popular e contação de histórias.

“A Sopa de Pedra”, “A História de Jonas” e “A História do Nariz Verde” são os pilares sobre os quais Reinaldo Nunes construiu “As Crônicas de um Viajante”. Ao unir elementos dessas histórias tradicionais, Nunes almejou criar uma obra que não apenas entretenha, mas também transmita valores e princípios essenciais.

“Eu sou ator e contador de histórias. E todo o meu trabalho, a minha carreira, sempre misturei essas linguagens”, revela Nunes. Com base em histórias tradicionais como essas, a peça tece uma narrativa envolvente que celebra valores como unidade, fé e autenticidade.

“A Sopa de Pedra não é uma história especificamente cristã, mas ela trabalha sobre unidade, ela fala sobre amizade, ela fala sobre empatia. Então, eu acho muito interessante para esse momento”, acrescenta o diretor.

Uma Experiência Teatral Interativa

A essência de “As Crônicas de um Viajante” reside na sua abordagem lúdica e interativa. Utilizando elementos do teatro popular e da contação de histórias, a produção transforma objetos simples em cenários mágicos, convidando o público a embarcar em uma jornada de imaginação e criatividade.

“A manipulação de objetos, a transformação de objetos, isso abre essa janela, abre a janela pro lúdico, abre a janela pra imaginação”, explica Nunes. Com uma trilha sonora envolvente e personagens caricatos, a peça promete uma experiência teatral memorável para toda a família. “A brincadeira de transformar objetos, de manipular objetos, isso faz parte do universo infantil”, destaca o diretor.

Não perca a oportunidade de se encantar com “As Crônicas de um Viajante” e embarcar em uma aventura teatral que ficará na memória por muito tempo. Garanta já o seu ingresso e junte-se a nós nesta emocionante jornada!

SERVIÇO:

Evento: “As Crônicas de um Viajante”

Data: 25 de maio de 2024

Horário: 16h

Local: Teatro Conchita de Morais

Endereço: Praça Rui Barbosa, 12 – Santa Teresinha (Santo André)

Ingresso: R$ 10,00

Para mais informações e reservas, entre em contato pelo telefone (11) 9433.76149 (Reinaldo).

Continue lendo

Destaque